domingo, 30 de agosto de 2015

Gelado de Arroz Doce

Este verão tem sido uma maravilha, no que diz respeito a gelados!!
Estou completamente rendida aos gelados artesanais, tanto pelo fantástico sabor, como pela textura e cremosidade, como pelo facto de saber aquilo que estou a comer.
Tudo isto graças às maravilhosas receitas do livro "A Vida Secreta dos Gelados Caseiros " da La Dolce Rita.
Recomendo este "delicioso" livro!!
Desta vez fiz a receita do gelado mais português de Portugal, gelado de Arroz Doce!! 
Como se não bastasse ser de arroz doce, é do melhor arroz doce que já comi. É DIVINAL!!
Experimentem e depois digam se tenho ou não razão.
 Gelado de Arroz Doce
Base com Ovos
  • 250 ml. leite gordo
  • 200 ml. natas 30% gordas
  • 30 grs. leite em pó
  • 100 grs. açúcar
  • 3 gemas grandes
Para o Arroz Doce
  • 30 grs. arroz carolino
  • 150 grs. água
  • Uma pitada de sal
Para o Arroz:
Num tacho, leve o arroz com água e o sal a lume brando.
Cozinhe até a água evaporar toda, tendo cuidado para não queimar- o arroz não precisa de ficar totalmente cozido.

Para o gelado: 
Num tacho, junte o arroz cozido, o pau de canela, as tiras da laranja e do limão ao leite, as natas e o leite em pó e leve ao lume médio. À parte, misture bem as gemas e o açúcar com uma vara de arames e reserve. Assim que o leite e as natas estiverem prestes a ferver (80ºC), retire do lume e deite aos pouquinhos sobre as gemas, mexendo sempre para não correr o risco de cozer as gemas. Leve tudo a lume médio-baixo, mexendo sem parar. Quando o creme começar a engrossar, de forma que ao passar o dedo nas costas de uma colher forme uma estrada bem definida, sem deixar ferver, desligue o lume e passe de imediato por um passador, para eliminar o arroz, os paus de canela e as cascas de citrinos e eventuais grumos.
A seguir, baixe rapidamente a temperatura do creme colocando-o num banho de gelo (recipiente largo com água fria e gelo ou leve ao congelador durante 90 minutos).
Depois leve à sorveteira a congelar.
Sirva o gelado com canela, como um verdadeiro arroz doce.
Bom apetite!

domingo, 23 de agosto de 2015

Frango de Caril com Coco e Maçã

Hoje, que o dia está mais fresco pede uma refeição diferente e reconfortante. 
Para quem gosta de comida oriental, como eu, nada melhor que um Frango de Caril com Coco e Maçã.
Este é um dos pratos que faço sempre que me apetece uma refeição leve, rápida e deliciosa.

  • 350 grs. Peito de frango             
  • 1 Colher de café sal
  • 2 Colher de sopa caril em pó                                 
  • 1 Cebola picada
  • 2 Dentes de alho                                
  • 2 Colher de sopa de azeite                                     
  • 100 ml. Vinho branco                         
  • 200 ml. Leite de coco                          
  • 2 Maçãs Royal Gala médias 
  • q.b. Coentros                          
  • 280 grs. Arroz basmati para acompanhar
Corte o peito de frango em cubos e tempere com o sal e o caril, misture bem.
Entretanto, pique a cebola e o alho e refogue-os no azeite.
Junte o frango e deixe alourar, mexendo frequentemente.
Regue com o vinho branco e volte a mexer.
Adicione o leite de coco, tape e deixe cozer em lume brando. 
Lave e descasque as maçãs, rale-as e junte ao frango. 
Deixe cozinhar durante cerca de 20 minutos. 
Sirva com arroz basmati, desta vez optei por servir com uma simples salada de rúcula.

Receita da querida Marisa Valadas do blog Sweet my Kitchen 
Aproveitem e espreitem esta e outras delicias que estão por lá.
Boa semana para todos!!

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Doce de Figo

No passado fim de semana, um amigo ofereceu-nos uma taça cheia de figos acabados de colher.
Que maravilha!! Amigos destes valem ouro.
Comemos alguns e deixei os restantes para fazer este magnífico Doce de Figo.
São momentos de prazer que nos levam a saborear o melhor da fruta da época.
Doce de Figo
  • 1 Kg de figos
  • 500 grs. de açúcar
  • 2 paus de canela 
Comece por lavar muito bem os figos e deixe-os a escorrer. 
Retire a pele à maioria dos figos, parta-os ao meio e coloque-os num tacho.
Junte o açúcar e os paus de canela. 
Leve a lume brando …e deixe ficar!
Vá mexendo ocasionalmente.
Quando levantar fervura, mexa com mais frequência para não pegar ao tacho.
Quando estiver quase no ponto, ou seja, quando já evaporou boa parte da água, retire os paus de canela e esmague algumas dos figos (não todos) para o doce ficar mais cremoso.
Deixe ficar mais um pouco ao lume.
Coloque o doce ainda quente em frascos esterilizados, tape e vire de tampa para baixo até arrefecerem por completo.
















Boa semana e um grande beijinho.

domingo, 9 de agosto de 2015

Licores

Outra das minhas aventuras é fazer licores.
Faço dos mais variados sabores, alguns de fruta, outros de chá, uns de vagens, etc.
Há para todos os gostos!!
É uma alegria poder oferecer aos amigos e familiares miminhos feitos por mim. 
É uma bela forma de oferecer carinho a quem vem cá a casa ou também de os presentear no Natal. 
Aqui ficam alguns:

Licor de Funcho
  • 100 grs. de “folhagem de funcho fresca”
  • 4 colheres de chá de semente de funcho
  • 1 kg açúcar
  • 1 L água
  • 1 L aguardente vínica 
Numa panela deite a água, o açúcar, as sementes e a folhagem do funcho (bem lavada).
Leve ao lume e deixe ferver em lume brando durante 10 a 15 minutos.
Retire do lume e deixe arrefecer.
Junte a aguardente e misture muito bem.
Filtre o licor com um pano de linho e engarrafe. 


Receita de “Petiscos.com”
Licor de Amora
  • 300 grs. Amoras silvestres
  • 1 Lt. Aguardente vínica
  • 1 Kg. Açúcar
  • 800 ml. Água
Coloque as amoras silvestres e a aguardente numa garrafa que feche bem. 
Guarde num local escuro durante 1 mês.
Mexa a garrafa todos os dias, durante 15 dias.
Num tacho, coloque o açúcar e a água e leve ao lume médio durante + ou – 15 minutos.
Retire do lume e reserve.
Depois de fria junte tudo a esta calda.
Coloque numa garrafa e guarde mais um mês até consumir



Licor de Cereja ou Ginja
  • 1 Lt água
  • 1 Kg açúcar
  • ½ Lt de um bom vinho tinto
  • 1 Lt aguardente vínica
  • 1 Kg cerejas ou ginjas
  • 1 pau de canela
Num tacho, coloque o açúcar e a água e leve ao lume médio até levantar fervura. Junte o pau de canela e as cerejas ou ginjas previamente lavadas e sem o pezinho. Junte o vinho, mexendo sempre, deixe ferver 5 a 7 minutos. Retire do lume e reserve. Depois de fria junte aos poucos a aguardente vínica. Por fim coloque numa garrafa e guarde. Mexa a garrafa todos os dias, durante 15 dias. Fica pronta a consumir ao fim de 4 meses. 

Receita de Manuel Paulo


Licor de Lúcia-Lima
  • 3 pés de Lúcia-Lima verdes
  • 1 Lt aguardente vínica
  • 1 Kg açúcar
  • 800 ml  água
Coloque os pés de Lúcia-lima e a aguardente num recipiente que feche bem.  Guarde num local escuro durante 2 meses. Mexa a garrafa todos os dias, durante 15 dias. Num tacho, coloque o açúcar e a água e leve ao lume médio durante + ou – 15 minutos. Retire do lume e reserve. Depois de fria junte aos poucos a aguardente vínica coada a esta calda. Coloque numa garrafa e guarde mais um mês até consumir.

Receita de José Cruz


quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Tarte Coberta de Alperces

O verão é a estação da fruta.
Alperces. São saborosos, perfumados e muito coloridos, uma das minhas frutas preferidas.
No passado mês de julho participei no passatempo da querida Carla do blog Tarte de Limão e ganhei um fantástico livro de Bolos e Tartes de Fruta. Adorei o livro, tem tudo o que eu gosto. Esta foi a receita que decidi fazer para estreá-lo.
É uma tarte simples de fazer e muito saborosa. Com uma massinha deliciosa!! Vão gostar!
Tarte Coberta de Alperce
  • 250 grs. farinha de trigo
  • 120 grs. margarina Vaqueiro sabor a manteiga
  • 4 colheres de sopa de leite
  • 110 grs. açúcar
  • 2 gemas M
Misture a farinha com a manteiga, o leite, o açúcar, as gemas e o sal e amasse até ficar homogéneo. Molde uma bola, envolva em pelicula aderente e leve ao frigorífico durante 1 hora.
Unte uma forma de mola (24 cm) com margarina e polvilhe com os palitos esfarelados.
Lave os alperces, corte-os ao meio e descaroce.
Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Estenda a massa sobre uma superfície enfarinhada e depois coloque na base da forma.
Coloque os alperces sobre a massa e recorte a massa em excesso.
Estenda a restante massa em forma de círculo.
Coloque esse círculo de massa sobre os alperces e com os dedos comprima as extremidades das duas massas. Coloque o aro da forma e pincele tudo com o ovo batido e pique várias vezes com um garfo. Leve ao forno a cozer durante + ou – 25 minutos.
Polvilhe com açúcar em pó antes de servir.

Receita do livro “Bolos e Tartes de Fruta”
                                                                          
 
Bom apetite!

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Gelado de Frutos do Bosque

Há muito que andava tentada a aventurar-me pelo mundo dos gelados. 
Há dois anos atrás, comprei uma sorveteira, mas as minhas primeiras experiências não correram lá muito bem. Não sou de desistir logo à primeira, apenas guardei a máquina à espera da receita ideal. 
E essas receitas chegaram com o livro A Vida Secreta dos Gelados Caseiros da La Dolce Rita.
Posso agradecer a duas queridas amigas, a Mafalda Silva e a Rosa Almeida, esta fantástica descoberta, o livro traz receitas deliciosas e a minha primeira estreia foi um sucesso.
Como tinha amoras silvestres acabadas de apanhar, não resisti e fiz este delicioso Gelado de Frutos do Bosque.


.1 Receita base sem ovos (pág.24)
.350 grs. frutos do bosque (usei 80% de amoras silvestres, 9 framboesas e 14 mirtilos)
.sumo de um limão
.20 grs. açúcar

Prepare a base do gelado como indica na receita, arrefeça.
Deixe os frutos do bosque a macerar no sumo de limão com o açúcar durante 2 horas, à temperatura ambiente para irem descongelando, se for o caso. 
Coe para eliminar a água e junte à base do gelado, que deverá estar fria.
Triture com a varinha mágica ou no liquidificador e passe por um passador, de forma a obter um creme liso.
Congele durante + ou – 1 hora e depois leve à sorveteira até ficar pastoso, denso e que tenha aumentado de volume. 

Se preferir uma consistência mais firme, retire da sorveteira e leve-o ao congelador num recipiente durante 4 horas. 
Nota: A base da sorveteira tem de estar completamente congelada (mínimo 24h). 
Estas lindas amoras foram colhidas em terras alentejanas, mais concretamente em Alter Pedroso. 
Sirvam-se à vontade!!